Exposição de Martin “Crudo” chega à São Paulo

get_shot

Na próxima semana será aberta a exposição de umas das figuras mais prolíficas do Hardcore/Punk Mundial, Martin “Crudo”.

Martin Sorrondeguy nasceu no Uruguai no final da década de 60, ainda novo, mudou-se para Chicago (EUA) com os pais. Começou a se envolver com a cena Hardcore/Punk no início dos anos 80, por meio de bandas e zines. Paralelo a sua paixão pela música, também veio o interesse por fotografia, indo a concertos, começou a praticar essa forma de expressão fotografando bandas de amigos e alguns grupos se encontravam em turnê naquela época.

Nos anos 90 o músico foi fundador da banda Los Crudos, referência quando o assunto é hardcore e cultura “faça você mesmo”. Além dos Crudos, que foi seu projeto musical mais conhecido, Martin também foi vocalista do Limp Wrist, grupo fundador do estilo musical intitulado “QueerCore”, explora a temática GLS, com letras pró-gay e anti preconceito.
crudos

Muito popular no meio alternativo, Martin conquistou um enorme respeito dentro da cena Hardcore. Tornou-se professor de fotografia, mas abandonou a profissão para se dedicar a fotografia como arte. Fazendo exposições de seu trabalho ao redor do mundo, valeu-se de grande experiência com viagens e turnês feitas com baixo custo, para viabilizar estas experiências.
Atualmente escreve e fotografa para a Maximum Rock N Roll, a revista/zine punk mais antigo em circulação.

Recentemente Martin lançou um livro de fotos chamado Get Shot, que conta com fotos tiradas durante 27 anos de turnê. O impresso tem capa dura, 250 páginas e foi lançado selo “Make a Mess”. As imagens representam a cena underground do mundo inteiro, dando ênfase, porém, a cena Punk e suas vertentes. Os registros contém nomes de peso como Fugazi, Operation Ivy, Dropedead, dentre outros. O trabalho é descrito como “um olhar vindo de dentro”, e leva qualquer leigo a conhecer a arte obscura que existe na cultura alternativa.

martin livro

A exposição contará com fotos que fazem parte do livro, além de algumas novidades. Imagens registradas no Brasil, EUA, Canada, Austrália, Japão, Peru e Argentina têm como objetivo mostrar a pluralidade dessas cenas locais. A exposição já passou por todos os países citados, com exceção do Peru, e agora chegou à vez do Brasil. O trabalho será exposto no espaço Matilha Cultural no centro de São Paulo e a abertura ficará por conta de bandas ligadas a contra cultura e a cena punk nacional.

No dia 9 de abril é aberta a exposição e haverá show com as bandas:

Likso, um projeto em formato de trio, que toca o hardcore no estilo mais cru e barulhento.

A outra apresentação fica por conta do Rakta, quarteto de feminino, que mescla muita psicodelia, experimentalismo e pós-punk.

No dia seguinte, 10 de abril, haverá a apresentação do filme Beyond The Screams: A U.S. Latino Hardcore Punk Documentary, um documentário que mostra a cena hardcore latino americana dentro dos Estados Unidos. Na sequência, será iniciado um bate papo com Martin – idealizador da produção – onde o espaço será aberto para perguntas e troca de ideias.

Quando: de 9 a 12 de abril.

Onde: Matilha Cultural – R. Rêgo Freitas, 542 – Republica, SP

Quanto: Grátis.

*Este projeto é feito de forma totalmente independente, sem apoio de qualquer marca ou empresa. É uma parceria entre a Matilha Cultura e a cena hardcore/punk.

Anúncios

Coletivo Verdurada apresenta: Matinê na Matilha

Verdurada de 08/04/12. Foto por: www.ihateflash.net

Apesar dos reveses que a vida impõe, há aquelas pessoas que negam o comodismo, e conseguem ser altamente prolíficas no que se dispõem a fazer. Certamente os integrantes do coletivo Verdurada fazem parte deste grupo. As palavras tecidas acima podem parecer exageradas ou demagogas, mas provaremos o contrário com fatos.

Pois bem, desde que a verdurada/festival hardcore tiveram que deixar o famigerado “galpão do jabaquara”, o coletivo vem se empenhando na busca de um novo espaço compatível com evento, tarefa árdua, principalmente por se tratar de um evento 100% DIY. Ao que tudo indica o Ego Club, local onde o evento vinha sendo realizado em suas últimas edições, também não receberá mais shows como a Verdurada, então o evento precisa migrar mais uma vez. A boa notícia é que este problema foi temporariamente resolvido, e no dia 14 de outubro acontecerá, na Matilha Cultural, a Matinê na Matilha, organizada pelo coletivo verdurada.

A Matilha Cultural, como o próprio nome sugere, é um centro cultural independente, sem fins lucrativos. Além disso o espaço não só tem forte vínculo com o vegetarianismo, como também promove informações sobre como adotar animais domésticos, fazendo-o um ambiente mais que propício para este show. Quanto as instalações, a Matilha não deixa a desejar, além de possuir um bom espaço para a apresentação das bandas, também possui outros abientes, que possibilitam aquela conversa entre uma banda e outra, sem a necessidade de deixar o local do show.

Fachada da Matilha Cultural

A localidade não é a única novidade nessa primeira Matinê na Matilha, o molde do show é um pouco diferente dos já conhecidos Verdurada a Festival Hardcore, em vez de 5, tocarão 4 bandas e não haverá palestra. O que não significa perda de força, tampouco que os outros eventos realizados pelo coletivo não voltarão a acontecer. Sem muito mais à acrescentar, vamos ao que interessa no momento, o cast que fará a composição da matinê:

Still X Strong: Recém chegada do velho mundo, a reserva moral do Vegan Straight Edge pensante, faz seu primeiro show no Brasil, desde a tour. Além disso a banda estará lançando o seu já virtualmente aclamado EP “Girl”, em sua última apresentação deste ano. (http://stillxstrong.bandcamp.com)

Renegades of Punk: O termo “power trio” nunca foi tão cabível. Renegades of Punk é uma banda de Punk Rock que com poucos acordes e guitarras pouco distorcidas, trará ao sudeste a energia só a região nordeste do Brasil tem. (http://therenegadesofpunk.bandcamp.com)

Urutu: Também lançando EP, a nova onda do heavy metal brasileiro, vai à matinê mostrar como se misturar metal e punk, de modo nada óbvio, sem necessidade alguma de recorrer ao monstro enfadonho chamado clichê.(http://urutu.bandcamp.com)

Slaver: Diretamente da capital nacional do Thrash, Brasília, o Slaver vem a São Paulo mostrar toda a fúria do metal brasiliense com riffs cortantes e muito singing along, no melhor estilo Bay Area 80’s. Circle Pit garantido.(http://www.myspace.com/slaverthrash)

Onde: Rua Rego Freitas, 542, Centro – Próximo ao metrô república.
Quando: Domingo dia 14/10
Quanto: R$10
Horário: 17h

Agora que você já sabe tudo deste evento mais que promissor, é só aguardar e comparecer. Sem desculpas.

TEST faz campanha para pagar o novo álbum

Abrindo para o D.R.I. @ Foto por: ???

O Sujeira está um pouco sumido, mas é devido a nossa vida na cidade grande, que é bem cruel. A ideia é voltar com força total, falando besteiras, falando mal e bem das coisas que a gente gosta. Fique de olho no blog essa semana, iremos postar algumas curiosidades. Agora vamos ao que interessa.

Hoje a dupla paulista de DeathMetal/Grindcore acaba de divulgar um vídeo bem interessante sobre o seu novo material “Árabe Macabre” o qual eu ainda não escutei, mas não tenho dúvidas que lá vem coisa boa. Então sem perder o fio da meada, o vídeo é sobre uma ajuda que os caras estão pedindo para pagar os custos do disco novo, que acabou saindo por volta de 50 reais.

O vídeo que eles fizeram é explicativo, colocando todos a par de qual é o intuito de angariar essa verba, deixando claro qual é a posição da banda. O fato é, existe muita gente “esperta” por ai que faz esse tipo campanha absurda alegando precisar do dinheiro pra poder produzir um material de qualidade, mas o Test mostra que no underground tudo é possível, basta correr atrás e se mexer.

Assista e compartilhe com os amigos que sonham em ser rockstars

Só um detalhe, logo mais vai ter o link do disco para download, assim que a banda alcançar a meta de 50 REAIS!

Acesse o site www.catarse.me e fique por dentro de tudo.

Penultima semana da expo “Deturpação”, silk de adesivos “ASA”, Metade Melhor e Deriva ao vivo.

Sábado dia 17/03 às 16h

Flyer a mão por Carlos Dias - Sábado dia 17/03 às 16h

Esse final de semana segue a continuação da exposição “DETURPAÇÃO” na Loja Hotel Tees, porém dessa vez com alguns adendos. No sábado irão se apresentar duas bandas do cenário independente paulista, Metade Melhor e Deriva, além disso, vai contar com o Lançamento da camisa do artista Carlos Dias, que vai estar presente silkando diversos adesivos de sua autoria, da série de desenhos intitulados de “ASA”.

Mesclando como sempre o barulho feito pela juventude inconformada e a arte, que expõe todas as nossas emoções, não vejo diferença entre os dois tipos de atividade, apenas a forma como se aplicam. Qualquer tipo de pessoa que está envolvida com o underground de alguma forma, sugiro que compareça a exposição, mesmo que seja pra conhecer pessoas novas e apagarem essa imagem que muitos tem sobre a arte ser algo inacessível e burguês. Uma das coisas mais importantes do DIY é o poder de fazer as coisas que bem entender, sem pedir permissão a ninguém.

Trabalhos de Lucas Valente e Rael Brian

Exposição "DETURPAÇÃO" - Trabalhos de Lucas Valente e Rael Brian

As bandas que irão se apresentar nessa penúltima semana do evento tem total ligação á cultura alternativa e faça-você-mesmo. Metade Melhor é uma banda de Punk Rock influenciada pela escola do Grunge dos anos 90 somado com tudo de sujo que veio Post-Hardcore dos anos 80, seguindo a linha de gravadoras como SST, Dischord e etc. Deriva vai por uma linha mais experimental, andando ao lado de bandas como Fugazi, Minutmen, as bandas mais “tortas” dos mesmos selos citados acima. Ambas as bandas tem o Punk Rock como base de sua estrutura, se encontram e desencontram.

Escute Metade Melhor.

Escute Deriva.

Carlos Dias já é carta carimbada quando o assunto é arte e DIY, pra quem acompanha o trabalho do cara sabe que ele é idealizador do projeto troca de desenho, que é uma das iniciativas mais “punks” envolvidas com arte e ilustração. Como já foi citado acima, será o lançamento da sua camisa, que estará à venda no dia do evento, é limitada e só é possível de encontrar na Loja Hotel Tees em São Paulo. Os adesivos que serão silkados na hora serão distribuídos, é óbvio, mas vale ressaltar que só poderá adquirir os adesivos aquele que  marcar presença no evento ou se algum amigo guardar, caso contrário acho que não terá segunda chance (para esses).

Camisetas "ASA"

É isso, vale a pena comparecer e desmitificar essa ideia de que o lado mais obscuro do Rock não tem a ver com Arte. Compareça e compartilhe ideias, isso é o mais importante.
Agradecimentos aos idealizadores do projeto e o Cebola proprietário da Loja Hotel Tees, por ceder espaço e apoiar os artistas e as bandas do underground.

Sábado dia 17/03
Hora: 17h
Preço: FREE
Local: RUA MATIAS AIRES 78 / BAIXO AUGUSTA

Exposição “DETURPAÇÃO” começa neste final de semana em São Paulo

Neste sábado dia 3 de março começa a exposição “Deturpação” no espaço Hotel Tees (Loja). Onde vai rolar o encontro de quatro nomes do underground da arte nacional. O projeto conta com os artistas  Eduardo Vaz, Lucas Cabu (Lucas Valente), Kaue Garcia e Rael Brian.Todos estes artistas tem uma relação forte com o estilo de vida “Faça Você Mesmo” e com a cultura Punk/Hardcore, o que se reflete em seus trabalhos, mesmo que de forma subliminar.

A colagem é algo explicito e notável nas obras dos caras, Lucas Valente discorre um pouco mais sobre o assunto, deixando as coisas um pouco mais claras;

“Vão ser apresentadas diferentes técnicas de colagem, que são usadas como parte de um processo do desenho, ou como finalidade. Deturpação no dicionário significa: “não dar o verdadeiro sentido a”; alterar; corromper; desfigurar; estragar. 
Por isso o nome da expo. Destruindo, modificando, transformando, livros, revistas, papeis, em uma nova história, estamos deturpando seu significado inicial, para o fim que convir”. (Lucas Valente, idealizador do projeto)

Da uma sacada nos trabalhos dos caras, com um pouco da nossa opinião exposta.

Lucas Valente sempre desenhou de forma descompromissada, com um traço mais grosseiro, mas sempre tentando passar ideias em seu trabalho, colocando um tema de questionamento, expondo a neurose cotidiana. Eu percebo que a estética é o que menos importa, apesar de ser sua primeira exposição usando material físico (Lucas já expos usando vídeo arte) agora tem incorporado mais colagens em suas novas criações.

O Kaue Garcia faz colagens há cerca de sete anos, e o trabalho dele é especificamente isso. Usa revistas dos anos 60 e 70 e tem referências de arte-xerox, neo-expressionismo e outras manifestações de grupos de vanguarda de anti-arte. Percebo que tem como base a ironia e sarcasmo usado muito no meio Punk com boas sacadas, pegando chavões do mundo contemporâneo e fazendo uma crítica nem sempre tão inibida a sociedade, usando essas artimanhas para brincar com as hipocrisias não muito comentadas.

O Rael Brian é mais novo, ele estudou fotografia e pira em retratos, então ele faz uns rostos deformados, com tanta camada de papel que as colagens muitas horas lembram pinturas a óleo. Vejo um clima obscuro, mas meio abstrato, demoro horas pra perceber se existe uma mensagem naquilo, porém acabo entrando em uma confusão, pode ser que esse seja o foco, confundir e questionar, mas nem sempre chegar a uma conclusão.

O Eduardo usa a colagem muitas vezes como parte de um processo de desenho. Pra essa exposição ele está montando uma instalação na parede. Os trabalhos acabam levando a gente para o fundo, faz você observar sem parar tentando ver algo mais, lá atrás, bem escondido, a estética do preto e branco é bem curiosa, passa esse clima rustico, sombrio, sem muitos corpos, cheio de “solidão”.

Se ficou interessado é uma boa pedida pra conhecer coisas novas e abrir um pouco os horizontes. É legal ter esse tipo de contato, muda um pouco o senso comum de que muita gente tem dentro das subculturas a respeito da arte, mostrando que com pouco se pode fazer muito, caminhando lado a lado com qualquer tipo de ideia “contra cultural”. A exposição é free e todos são bem vindos.

Segue o vídeo de divulgação do evento:


Deturpação
artistas Eduardo Vaz, Lucas Cabu (Lucas Valente), Kaue Garcia e Rael Brian
03 ao 24 de março
Local: Hotel Tees. Rua Matias Aires, 78. Consolação. São Paulo/SP
Abertura dia 03.03 das 16h as 22h.