AGAINE voltou e o Sujeira colou…

Againe (visual boston) – Casa do Mancha @ Foto Por: Ricardo Augusto

Muita coisa rolou até esse show acontecer. Againe, um dos grandes nomes do hardcore dos anos 90 anuncia sua volta. Quando a banda anunciou na internet a notícia, todos disseram “não perco por nada”, o fato é que, na internet todo mundo diz qualquer coisa, no fim das contas só compareceu quem realmente gostava da banda, amigos e etc.
Sexta feira, 20h, todos os entusiastas já estavam ansiosos pro começo do show. Os caras voltaram com a última formação da banda, que gravou o 7# “Sem Açucar” que é: Carlinhos na voz, Fusco bateria, Ed guitarra, Fernando Sanches guitarra e Gulherme Granado baixo. O Fusco atrasou um pouco, mas chegou a tempo pra tocar. O show já começou pesado com “Action Book” já emendada com “Neoliberalismo”. A festa correu perfeitamente. Como já citado acima, eles são veteranos na cena paulista, muitos alí inclusive eu estavam vendo de verdade pela primeira vez, então com certeza era um momento especial. Há tempos eu não sentia uma energia tão forte em show.O público era bem mesclado, uma galera mais jovem, uma galera mais adulta, gente que não se encontra em shows comuns, mas rolou respeito e foi sensacional. A cada acorde que a banda dava, eu sentia a fúria e pensava, ” Isso é muito hardcore, pode chamar de rock pesado e etc. Eu chamo de hardcore”, vocalista cantando do fundo da alma, como se não houvesse amanhã, sem mascara, sem molde, uma banda que copiava a sí própria.
Againe (Pointing Fingers) - Casa do Mancha @ Foto por: Ricardo Augusto

Againe (Pointing Fingers) – Casa do Mancha @ Foto por: Ricardo Augusto

Quem estava na linha de frente do palco podia sentir a energia que era fazer parte daquilo, tudo cantado com um sentimento em volta.
Os caras tocaram 30 minutos, que foi o bastante pra galera se divertir com stage dives, um pit da amizade (pois o espaço era bem pequeno). A velha escola pode matar a saudade e a felicidade dos jovens ali presentes foi garantida.

stage dive @ foto por: Oswaldo Corneti/ We Shot Them

stage dive @ foto por: Oswaldo Corneti/ We Shot Them

A conclusão: não importa o que você quer falar, seja sincero, coloque pra fora o que você tem vontade, isso é o punk rock, hardcore, como quiser chamar. As pessoas podem ler isso e achar que estou forçando a barra, olhe pra sua volta e procure algo que faz seu sangue pulsar de verdade, abraçar quem você não conhece e se emocionar de verdade. O sistema já tenta aprisionar as pessoas todos os dias, vamos jogar limpo com a única saída que nós temos…

Mais fotos por: Oswaldo Corneti/ We Shot Them
Mais fotos por: Ricardo Augusto

    Vídeo de “Só diz não sei” por: Tinico.

Anúncios

Penultima semana da expo “Deturpação”, silk de adesivos “ASA”, Metade Melhor e Deriva ao vivo.

Sábado dia 17/03 às 16h

Flyer a mão por Carlos Dias - Sábado dia 17/03 às 16h

Esse final de semana segue a continuação da exposição “DETURPAÇÃO” na Loja Hotel Tees, porém dessa vez com alguns adendos. No sábado irão se apresentar duas bandas do cenário independente paulista, Metade Melhor e Deriva, além disso, vai contar com o Lançamento da camisa do artista Carlos Dias, que vai estar presente silkando diversos adesivos de sua autoria, da série de desenhos intitulados de “ASA”.

Mesclando como sempre o barulho feito pela juventude inconformada e a arte, que expõe todas as nossas emoções, não vejo diferença entre os dois tipos de atividade, apenas a forma como se aplicam. Qualquer tipo de pessoa que está envolvida com o underground de alguma forma, sugiro que compareça a exposição, mesmo que seja pra conhecer pessoas novas e apagarem essa imagem que muitos tem sobre a arte ser algo inacessível e burguês. Uma das coisas mais importantes do DIY é o poder de fazer as coisas que bem entender, sem pedir permissão a ninguém.

Trabalhos de Lucas Valente e Rael Brian

Exposição "DETURPAÇÃO" - Trabalhos de Lucas Valente e Rael Brian

As bandas que irão se apresentar nessa penúltima semana do evento tem total ligação á cultura alternativa e faça-você-mesmo. Metade Melhor é uma banda de Punk Rock influenciada pela escola do Grunge dos anos 90 somado com tudo de sujo que veio Post-Hardcore dos anos 80, seguindo a linha de gravadoras como SST, Dischord e etc. Deriva vai por uma linha mais experimental, andando ao lado de bandas como Fugazi, Minutmen, as bandas mais “tortas” dos mesmos selos citados acima. Ambas as bandas tem o Punk Rock como base de sua estrutura, se encontram e desencontram.

Escute Metade Melhor.

Escute Deriva.

Carlos Dias já é carta carimbada quando o assunto é arte e DIY, pra quem acompanha o trabalho do cara sabe que ele é idealizador do projeto troca de desenho, que é uma das iniciativas mais “punks” envolvidas com arte e ilustração. Como já foi citado acima, será o lançamento da sua camisa, que estará à venda no dia do evento, é limitada e só é possível de encontrar na Loja Hotel Tees em São Paulo. Os adesivos que serão silkados na hora serão distribuídos, é óbvio, mas vale ressaltar que só poderá adquirir os adesivos aquele que  marcar presença no evento ou se algum amigo guardar, caso contrário acho que não terá segunda chance (para esses).

Camisetas "ASA"

É isso, vale a pena comparecer e desmitificar essa ideia de que o lado mais obscuro do Rock não tem a ver com Arte. Compareça e compartilhe ideias, isso é o mais importante.
Agradecimentos aos idealizadores do projeto e o Cebola proprietário da Loja Hotel Tees, por ceder espaço e apoiar os artistas e as bandas do underground.

Sábado dia 17/03
Hora: 17h
Preço: FREE
Local: RUA MATIAS AIRES 78 / BAIXO AUGUSTA